Pra usar: Calça de cintura alta.

postcinturaalta.jpgEu sempre costei de me sentir confortável com a roupa que estou, mas na adolescência a gente quer tá junto com a moda atual, porque adolescente não tem a palavra conforto na cabeça, ai já viu né, aquelas calças jeans justas de cós baixo= conforto zero+quadril dividido em dois(não importa o tipo de corpo), ainda mais quando o corpo  está mudando a cada dia. Esse cós justo e baixo não valoriza em nada as formas da mulher, marca aquilo que você não tá afim de mostrar( gordurinha, pneuzinho, barriga), nos dias que estamos inchadas é uma luta, pegar ônibus e metrô é um saco, é um negocio de ficar puxando a blusa pra “tentar” tampar o que a bendita calça não cobre e o que não fica no lugar que Jesus amado!

Depois da minha declaração de horror pelas calças de cós baixo vem o meu amor mais que declarado pela calça jeans de cintura alta!

postcinturaalta3.jpgAposentei as minhas calças antigas que nada acrescentavam em conforto e visualmente e investir em 5 peças de calça jeans sendo que 2 de cintura média( o cós vai até o ossinho da bacia, igualmente confortável) e 3 de cintura alta (fica em cima do umbigo ou um dedo acima) . Agora não adianta comprar errado né, TEM QUE EXPERIMENTAR, procurar por um preço legal (promoção), ver cor e tecido, porque não é todo jeans que é jeans né!

cinturaaltapost.jpgEu uso calça jeans pra caramba então não deu pra inventar muita moda, eu optei por calças jeans azul, preta e uma que me apaixonei que é um vinho beeeem escuro, já o tecido eu optei por 3 jeans mais grossos bem encorpados que vão durar uma vida e 2 com mais elastano que costuma deixar o jeans mais fino pros dias de calor.

post.jpgA calça de cintura alta não impõem fronteiras quanto a forma de usar, dá pra colocar a blusa mais justa ou mais solta por dentro, com Cropped de todos os jeitos, ou se você quiser ousar  dá pra usar com o Bralet( um sutiã mais elaborado e mais longo com uma armação embaixo dos seios) é minha combinação preferida, ai se você não tá afim de chamar muita atenção a blusa por cima também vale!

complementocinturaalta.jpg

Bralet

postcinturaalta2.jpgA calça de cintura alta alonga as pernas, define o bumbum, marca a cintura, beneficia todos os tipos de corpo e deixa tudo no devido lugar!

BeFunky_BeFunky_DSC09469perfil.jpg

Nada de cofrinho aparecendo por aí, se joga na calça de cintura alta!!!!

 

 

 

 

 

Música pra não enjoar: MAPEI

BeFunky_mapei4.jpgSabe música que gruda na cabeça e você quer colocar no seu despertador? Então, as músicas da cantora sueca fez exatamente isso comigo, faz uns 4 meses que essas músicas não saem da minha cabeça( no bom sentido claro). Começando por DON’T WAIT que tem uma vibe muito gostosa, uma mistura de ritmos muito bem harmonizados: tem funk(batidão mesmo),R & B, um eletrônico aqui um hip hop ali, tudo embalado por uma voz rouca macia, que encanta! Dá vontade de dançar sempre que toca. Ela ainda não é muito badalada pela mídia musical, mas com certeza vai fazer muita música boa. E o clipe é um detalhe a parte, é simples e muito bom. A outra música é CHANGE que dá muita vontade de cantar alto e de fazer dancinha também! Ainda esse ano deve sair seu álbum, que por essas amostras deve vir com uma  pegada bem legal!

 

O cabelo crespo: Uma busca pelo empoderamento do cabelo natural da mulher negra.

Tim Okumura

Durante muito tempo o cabelo crespo/afro vem sendo hostilizado e marginalizado pela sociedade. Ele ainda é colocado por muitos como símbolo de pobreza, descuido, rebeldia, e muitos outros adjetivos ruins. Quando uma criança negra nasce e possui cabelos crespos a mãe desça menina logo se arma contra os fios naturais da criança( deixa-os presos sempre), com o passar dos anos essa criança provavelmente irá alisar ou relaxar os fios, depois de escutar muitos apelidos sobre seus cabelos  na escola(bombril, pinxaim, cabelo duro…), essa química que a menina negra usa nos fios crespos um dia vai dar errado, uma quebra, uma queimadura ou ela vai ter alopecia capilar por causa do uso da escova para tentar deixar os cabelos com uma aparência de um “liso” mais aceitável.

Sim eu fui uma desças meninas negras que usavam químicas de alisamento no cabelo para me sentir mais aceita pela sociedade e até mais confortável comigo mesma. O que me fez mudar de dois anos e meio até este atual dia? O empoderamento das características naturais da mulher negra. Essa frase retrata muito bem o meu sentimento quando vejo uma menina negra na rua com o seu cabelo crespo natural, é lindo de se ver, ou até mesmo quando alguma crespa me aborda por aí pedindo dicas de produtos de tratamento e começamos a papear sobre nossa história capilar. Empoderar é basicamente da poder, dignidade e aquisição da emancipação individual, no caso da mulher negra e suas características físicas naturais. Cheguei a essa retomada de consciência através do Coletivo Meninas Black Power, que após ler seus textos me coloquei a questionar sobre como eu estava usando o meu cabelo e porque eu nunca tinha sequer pensado em deixar meus cabelos totalmente naturais sem nenhuma química.

Depois de vários textos sobre o tema, de buscar referências de cuidados no youtube, blogs e facebook, tomei uma decisão acertada e muito feliz: cortar o cabelo joãozinho e deixar meu cabelo crespo crescer pra ver realmente como ele era. Para minha surpresa todo o processo foi muito orgânico, busquei entender os meus motivos e minha história, decidi o dia do grande corte e foi, tava eu lá uma jovem que buscava por longos cabelos alisados agora com um corte curtíssimo, e com o cabelo crespo, eu estava extasiada pela sua forma, e pela descoberta de uma identidade visual que combinava totalmente com a minha personalidade! Minha volta aos cabelos crespos foi um ato político, e isso me fez ver o quanto o movimento de empoderamento das características da mulher negra se faz importante para aquelas que sequer teve a chance de não serem julgadas por serem negras. Toda essa busca ainda vem acompanhada pela luta de se fazer presente em ambientes cujo o cabelo crespo natural é visto como “inapropriado” ( profissões como advogadas, médicas, grandes administradoras entre outras). Uma grande preocupação das mulheres que buscam assumir os cabelos crespos é se ele vai influenciar na hora de procurar um emprego e o empoderamento serve exatamente para isso, para que em situações de pressão a mulher negra de cabelo crespo se sintam confortável com sua característica, para ficar claro que ela pode sim ocupar um status de reconhecimento sendo negra, com cabelo crespo.

Desconstruir o esteriótipo do cabelo crespo como um cabelo ruim vem sendo uma tarefa difícil, porque ainda há muita insegurança e falta de informação, não é um processo fácil porque envolve auto aceitação, é algo que só o individuo decide, e as mídias tem grande influência em todo esse processo, delimitando a mulher negra como a empregada, a pobre. O processo de se sentir inspirada por alguém vem do se ver em alguém, mas como essas mulheres vão se espelhar em alguém se elas não se vêem retratadas nessas mídias?! E é aí que entra a internet:movimentos pelo cabelos naturais, pelo empoderamento da beleza da mulher negra através grupos no facebook, blogs sobre cabelos crespos nacionais e internacionais, vlogueiras nacionais e internacionais vem desempenhando esse papel de difundir o pensamento de auto aceitação.

Esse processo de empoderar é pelo direito de não ser julgada e depreciada por ter cabelos crespos é quebrar muralhas impostas a séculos para as mulheres negras não se sentirem confortáveis com aquilo que elas são, com suas características naturais.

Pra começar…

Todo começo é simples, você decide e vai! E aqui nesse mundo da blogosfera não é diferente! Tava eu há um tempo atrás em uma tarde vazia e me lembrei que quando mais nova tinha um blog sobre música com minha irmã mais nova, e essa lembrança despertou-me imediatamente uma vontade de escrever, de compartilhar meus pensamentos sobre o que eu gosto e também sobre o que eu não gosto, esvaziar da minha cabeça ideias que estão sempre a mil por hora, uma típica geminiana, mas eu quero que todas as minhas ideias, divagações e opiniões sejam claras, diretas e pra não desperdiçar o momento SIMPLES. No meu mundo perfeito uma boa conversa ganha meu coração, põe para trabalhar meu cérebro e faz valer meu dia, então o blog vai ser basicamente sobre tudo que eu achar que é válido compartilhar com a humanidade! Simples assim.